Viciados em Resultados

AltGrupo
AltGrupo

Como avaliar o seu site

18/02/2014 Por: Alexandre Fattori

Para fazer uma análise competente do seu site, se ele está realmente lhe gerando retorno sobre o investimento, é preciso antes avaliar o que é sucesso para o seu negócio. Ou seja, antes de sair mensurando ou avaliando se o seu site está bom é preciso definir o que você deseja que o visitante faça.

Na verdade, deveria ser uma etapa anterior, quando do desenvolvimento do site. Pois o que o seu visitante pode fazer nele, depende do que você “permite” que ele faça. Por exemplo, você deseja que ele saiba mais sobre os produtos, mas o seu site não conta com um categoria atualizada deles, ou as fotos estão em baixa qualidade, ou ainda, a página de produtos está um caos, tudo desorganizado e o cliente não consegue acessar facilmente o produto que deseja (…). Esses são exemplos. Avinash Kaushik,  especialista em web analytics e escritor de alguns dos melhores livros sobre o tema, afirma que toda história de mensuração de métricas na web começa com uma simples pergunta: Por que o seu negócio existe? A partir dessa pergunta inicial você irá responder outras perguntas que irão permitir você a definir quais são as métricas que avaliarão o quão bem sucedido seu site é. As outras perguntas que te auxiliarão nesse processo são:

  • Qual é a coisa mais importante que o seu site resolve?
  • Se apenas uma métrica pudesse definir se o seu negócio está bem ou mal, qual seria?
  • Quais métricas te mostrariam se as três prioridades do teu negócio estão sendo impactadas pelas ações online?
  • Qual é a grande ameaça ao seu negócio e como ela impacta no seu negócio?

A partir dessas perguntas você já começa a estruturar as métricas de uma perspectiva estratégica. Essas métricas Avinash nomeia de “Critical Few”, que numa tradução livre seria algo como “poucas críticas”. Seriam as poucas métricas e críticas para o sucesso do seu negócio na web. Essas “métricas críticas” não podem ser mais do que três sob o risco de perder o foco no que realmente é importante. Após a definição das “poucas críticas”, seguem-se as métricas que irão permitir avaliar o desempenho delas. Elas se dividem em macro e micro.

Macro métricas

São as métricas que computam ações muito importantes realizadas pelos seus visitantes dentro do seu site, elas tem impacto direto no desempenho das “poucas críticas”. Elas podem ser:

  • Recenticidade de visitante: Qual é o tempo médio entre uma visita e outra? É muito relevante se você, por exemplo, é um portal de notícias, entretenimento, blog (…) a procura de anunciantes. E pode informar que você precisa atualizar sua página com mais frequência.
  • Profundidade da visita: O quão longe o seu visitante explora o seu site? Essa métrica lhe trará informações importantíssimas sobre a qualidade do seu conteúdo e onde as pessoas estão saltando do seu site.
  • Taxa de rejeição: Altas taxas de rejeição no site? Podemos ter um problema, procure saber o porquê disso comparado os resultados dessa métrica com outras como as duas de cima. Se você possui um blog, uma taxa de rejeição mais alta talvez não seja um problema, pois o seu visitante vêm, lê o último post e vai embora. Normal!
  • Duração da visita: Analise o tempo que os visitantes passam no site (além da média) e verifique o conteúdo que consomem para possíveis melhorias.

Micro métricas

São pequenas ações que possuem valor mas não impactam diretamente as “poucas críticas”. Elas constituem valor pois com o tempo geram negócios e fidelização, variam de negócio para negócio, abaixo alguns exemplos:

  • Preenchimento de formulários
  • Cadastro para receber Emails
  • Contato por mensagem

Depois dessa explicação, o importante é começar. Procure primeiro definindo o que é sucesso para o seu negócio, se necessário, faça ajustes no seu site (ou um novo) avalie quais métricas (macro e micro) podem auxiliar na mensuração, destine um tempo para realizar esse trabalho. O seu negócio agradece. Abaixo algumas informações e dicas relevantes que podem ser do teu interesse quando analisar suas métricas:

20% de tráfego direto é um resultado saudável

60% do tráfego do site referente a buscas é um resultado ótimo

– Analisar as 25 keywords (palavras-chave) que mais geram tráfego ao site e suas respectivas taxas de rejeição

– Páginas com taxas de rejeição altas não estão entregando o que se propõem. Faça testes A/B com o Google website optimizer

Remarketing: É um recurso do Adwords que permite acessar visitantes que chegaram ao seu site pelos anúncios do Google mas que por qualquer motivo não converteram. Você sabia que 97% dos visitantes de um site não convertem na sua primeira visita?

– É 77% mais provável que pessoas que clicaram em anúncios no topo da página façam uma busca direta pela marca nos próximos 30 dias.

– Os maiores pedidos (ticket médio) acontecem, normalmente, quando a taxa de conversão está baixa.

Alexandre Fattori
Sobre o Autor

Alexandre Fattori

Google Plus
Publicitário formado pela ESPM, pós-graduado em marketing pela FGV, especialização em marketing pela Irvine University of California. Sócio da Alt e consultor de marketing do SEBRAE e, acima de tudo, apaixonado por Marketing digital.

Comentários

comments powered by Disqus

Mais Posts

ALT Grupo

Av. Cristovão Colombo, 2156/303
Bairro Floresta - Porto Alegre/RS

ALT Blog