Viciados em Resultados

AltGrupo
AltGrupo

Como funciona Inbound Marketing para o mercado gastronômico?

19/12/2015 Por: Alexandre Fattori

Você está cozinhando um jantar e está sozinho na cozinha. A sala e os quartos da sua casa estão cheios.

Com o passar do tempo, o cheirinho da sua comida vai se espalhando e as pessoas começam a aparecer na cozinha para saber o que você está cozinhando.

Você não precisou chamar ninguém, você não precisou dizer que o seu jantar estava delicioso, as pessoas simplesmente vieram.

É exatamente assim que funciona o Inbound Marketing. Mas para ficar tudo mais claro, vou explicar com detalhes e mostrar como ele pode ter ajudar no mercado gastronômico.

Inbound Marketing para o mercado gastronômico? É de comer?

Esse nome tão complicado tem uma premissa bem simples: atrair seus clientes.

Isso quer dizer que, ao invés de sair por aí, mídias à fora, contando o quão bom você é (como funciona a propaganda tradicional, mais ou menos na foto abaixo, com milhares de promoções iguais) você vai usar uma série de recursos para que seus clientes venham até você.

oferta

Interessante… Mas como funciona isso aí?

O Inbound Marketing se faz valer de alguns ingredientes para fazer seu trabalho, como por exemplo:

  • SEO: é uma forma de otimização do seu site ou blog para que você seja mais facilmente encontrado nos sites de busca, como o Google;
  • Email: é a base de toda a comunicação. Com a autorização do seu público, você desperta e nutre o seu interesse, informa-o, fecha negócios, e mantém uma relação mais próxima e formal com eles;
  • Blogs: através dos blogs, você pode gerar um conteúdo de qualidade usando blog posts, webnários, infográficos, podcasts, ebooks, entre outros recursos para criar um discurso de autoridade que irá credenciá-lo com o seu cliente;
  • Mídias Sociais: é através delas que todo seu trabalho de marketing é divulgado para que você atinja novos públicos e conquiste mais clientes;
  • Personas: são personagens idealizados criados para representar os clientes de um produto ou serviço, condensando todas as características que eles têm em comum em uma única pessoa e, dessa forma, simplificando o entendimento dele pela empresa;
  • Funil de Vendas: é um modelo teórico usado para roteirizar o percurso do seu público desde um completo desconhecido até ele se tornar um cliente fiel à sua marca.

E como isso vai ajudar o meu negócio?

O Inbound Marketing é uma ótima estratégia para quem está no mercado gastronômico.

Isso porque, como eu disse no exemplo do cheirinho da comida, esse meio está acostumado a se vender através do seu próprio produto.

Só que com o Inbound você pode elevar o seu status, ter mais credibilidade e otimizar a busca dos clientes pelo seu negócio.

Fora isso, uma empresa que tem como produto algo com tanto apelo visual, é bastante interessante usar principalmente as mídias sociais da forma mais inteligente o possível para “vender o seu peixe”.

Ou seja, além de ser uma forma de divulgação com, em média, 62% menos custo do que a publicidade tradicional, o Inbound é uma estratégia que busca o interesse do seu público ao invés de “forçá-lo” a ver o que você quer vender.

Isso gera mais simpatia e, consequentemente, mais fidelidade. Assim como o cheirinho da sua comida.

Legal, mas por onde eu começo?

O primeiro passo é procurar definir as personas do seu negócio. Desenvolver uma persona não é achismo, é, acima de tudo, um trabalho de pesquisa:

– Quem é o seu potencial cliente? (características físicas e psicológicas do responsável pela compra)
– Que tipo de assunto interessaria para ele sobre o segmento de gastronomia?
– Quais são as atividades mais comuns que ele realizaria de lazer?
– Qual seu nível de instrução?
– Que tipo de informações ele consome e em quais veículos?
– Quem influencia suas decisões na escolha do restaurante?

personas

Essas perguntas devem ser feitas de forma que envolva o maior número de pessoas que possuem contato com os clientes; vendedores, atendimento, garçom, caixa (…).

Por se tratar de pessoas com diferentes níveis de instrução e capacidade de expressão, a condução das perguntas é vital.

Mas a equipe de atendimento poderá fornecer apenas uma pintura do quadro geral (características físicas e psicológicas, idade, classe social…). As demais informações devem ser retiradas do CRM, cadastro de clientes ou entrevistas com estes.

Após o levantamento de informações, é preciso condensá-las agrupando as características em comum e criando, assim, as personas.

É trabalhoso, mas o retorno compensa.

Após a criação das personas, é necessário pensar no funil de vendas.

No segmento gastronômico, tudo é mais rápido. As decisões de compra são imediatas pois as decisões envolvem baixo comprometimento, tanto de dinheiro, quanto tempo.

Por isso, é muito importante oferecer uma boa experiência sempre, pois apesar da facilidade em captar a atenção inicial, a repetição da compra é o maior desafio e o que realmente sustenta um negócio neste segmento.

 O funil de vendas

O funil de vendas é divido em 3 partes:

Lead no funil de vendas

Lead no funil de vendas

  • O topo – Após definir o público-alvo através das personas, você precisa conduzir ele para o seu funil de vendas. Nesta etapa, é preciso pensar nas formas e ferramentas que poderiam iniciar o relacionamento. Não existe uma regra geral. Para o segmento gastronômico, postagens no Instagram, anúncios no Google e Facebook, postagens no blog do site, SEO costumam ter grande eficácia em despertar o interesse e iniciar um relacionamento. Ah, aqui vale também pensar em uma bela promoção para chamar a atenção.
  • O meio – Momento em que acontece a conversão dessa pessoa em lead. Nesta etapa, o sujeito está com fome, conhece o seu negócio e está analisando as opções dos concorrentes. É fundamental ter um Facebook atualizado com as informações da empresa (telefone, endereço e site) e belas fotos. O site deve estar no ar – e acessível de celular, PC ou tablet -, para ele conferir o cardápio e as fotos. Ah mas que fotos. Sim, fotos lindas e deliciosas são essenciais. Invista em um bom fotógrafo.
  • O fundo do funil – Estágio da decisão da compra. O que falta para ele concluir a decisão de ligar para reservar ou pedir pela tele? O cliente pode buscar mais segurança. Por isso, vai espiar o que os outros clientes que provaram a sua comida disseram sobre o seu tempero nos reviews do Facebook e TripAdvisor. O engraçado é que no mercado gastronômico o cliente pode cruzar todo o funil de forma extremamente rápida. Mas lembre-se, o mais importante aqui não é vender uma única vez. Qualquer empreendimento neste mercado se sustenta apenas com a venda repetida e frequente,  e, para isso, uma boa experiência, pós-venda e email marketing fazem milagres.

Espero que eu tenha te ajudado a ver novas possibilidades para o seu negócio! Gostou do post? Então curta a nossa fanpage para ficar sabendo de mais dicas para a sua empresa!

Alexandre Fattori
Sobre o Autor

Alexandre Fattori

Google Plus
Publicitário formado pela ESPM, pós-graduado em marketing pela FGV, especialização em marketing pela Irvine University of California. Sócio da Alt e consultor de marketing do SEBRAE e, acima de tudo, apaixonado por Marketing digital.

Comentários

comments powered by Disqus

Mais Posts

ALT Grupo

Av. Cristovão Colombo, 2156/303
Bairro Floresta - Porto Alegre/RS

ALT Blog