Como anunciar no Google Ads

anunciar-no-google

O ano é 2021. Que atire a primeira pedra quem passa um dia sem fazer uma pesquisa no site de buscas mais usado do mundo.

Com poucos cliques, já se tem absolutamente resposta para tudo. Anunciar no Google, no entanto, não é um bicho de sete cabeças, como muita gente pensa.

O Google Ads é uma estratégia básica para um bom planejamento de marketing digital.

A ferramenta, quando bem utilizada, permite excelentes resultados, como mais engajamento e o aumento do número de visitas a um site.

E a boa notícia é que sua empresa ou marca não precisa ser de grande porte.

Pequenos negócios colhem ótimos frutos, quando executam boas estratégias via Google Ads.

Aliás, nós da Alt Grupo, uma agência digital, somos prova disso!

No artigo de hoje, vamos desmistificar brevemente a plataforma de anúncios do Google.

Vamos aprender? Boa leitura!

Você vai ficar sabendo neste artigo:
- O que é Google Ads?
- “Anunciar no Google é difícil. Eu não consigo!”
- Onde anunciar no Google?
- Para que público anunciar no Google?
- Por onde começar a anunciar no Google?
- O Google Ads não é um bicho de sete cabeças
- Por que acompanhar as métricas do Google?

O que é Google Ads?

O Google dispensa apresentações. Uma das empresas mais valiosas do mundo, ela surgiu em 1998 e pouco tempo depois já era consagrada a ferramenta de buscas mais utilizada do mundo.

Para se ter uma ideia, mais de vinte anos depois, o fenômeno é tão grande que a cada segundo são feitos milhões de buscas na plataforma.

Então pense conosco: todo esse tráfego deveria ser rentabilizado de alguma forma, certo? Assim começaram a existir os links patrocinados, por volta de 2001.

Nascia o Google Ads, ainda chamado de Adwords.

Se você já está nesse meio há um bom tempo, deve lembrar que antigamente, os anúncios eram apresentados no topo da página, antes dos resultados orgânicos.

Posteriormente, surgiram as opções laterais e outras ao final da página. Mas sempre foi o topo o local mais visado.

Isso porque, estatisticamente, é superior a 80% a porcentagem de pessoas que não visualizam os resultados a partir da segunda página do Google.

Muito além do patrocínio de palavras-chave, existem diversas opções de anúncios na plataforma, conforme exploraremos a seguir.

Ou seja, ao terminar esse artigo, você saberá tudo sobre como anunciar no Google mesmo!

“Anunciar no Google é difícil. Eu não consigo!”

De fato, pode não ser muito simples no começo.

E iniciar sem muito conhecimento pode ser arriscado: muita gente apenas “larga dinheiro” na plataforma, esperando que ela opere milagres.

Dica: se for para ser assim, nem faça!

É normal que somente quem já seja familiarizado com o Google Ads entenda os termos básicos da plataforma, a exemplo do leilão de palavras e do custo por cliques (CPC).

Mas não tem problema não entender.

O problema é tentar anunciar sem saber nada.

É para isso que parceiros como a Alt Grupo existem: para fazer o investimento dos seus anúncios render.

Mas sobre isso, falaremos mais ao final deste artigo.

No momento, decidimos apenas inserir essa dose de coragem para fazer você seguir a leitura deste artigo.

Onde anunciar no Google?

O Google está sempre passando por atualizações.

Entretanto, atualmente, pode-se anunciar em quatro canais principais no Google: na rede de pesquisa, rede de display, YouTube e Google Shopping (uma espécie de vitrine virtual, na qual você paga para o seu produto aparecer). Em outras palavras, os anúncios podem ser veiculados como:

Resultados de pesquisas no buscador

Banners em sites específicos que você direciona

Banners em canais diversos, segmentados pelo interesse do público que você segmentar

Banners em aplicativos

Banners no YouTube

Vídeos no YouTube

Ou seja, animações, vídeos, fotos, gráficos e até campanhas em aplicativos figuram entre as diversas opções para os anunciantes.

Isto significa que se você ainda pensava que Google é igual a palavra-chave, é hora de se atualizar!

Para que público anunciar no Google?

Esta resposta quem pode dar é você mesmo.

No tópico anterior, a gente mostrou que existem muitas possibilidades de anúncios.

Agora é com a sua empresa: aonde está o seu cliente? Aonde está o cliente que você quer alcançar?

O bom desempenho dos anúncios presume boa segmentação de público.

E você não pode ser raso. Estabeleça uma estratégia poderosa, de modo a contemplar exatamente o perfil do cliente que você quer atingir, por idade, região e afinidades, pelo menos.

Considere sempre que uma boa experiência do usuário online conta muito na hora da decisão de compra.

Por onde começar a anunciar no Google?

Agora que você entende a importância da segmentação do público e também já viu que existe uma infinidade de formatos, vamos tentar esclarecer por onde começar.

De olho em bons resultados

Aonde você quer chegar? Precisa de mais tráfego no site? Mais vendas diretas no seu ecommerce?

A partir de campanhas bem estruturadas, é possível ter retornos muito $atisfatório$!

De olho nas palavras-chave

Este é o primeiro ponto para deixar suas campanhas bombando dentro do Google Ads.

Um anúncio permite que você selecione uma série de palavras-chave. Escolha as opções que pareçam ser mais apropriadas para dar destaque às suas campanhas.

Mas atenção: busque palavras-chave específicas para representar sua marca e produtos (use o planejador do Google para ajudar).

Na realidade, quanto mais específicas elas forem, melhor! Deixe de fora todos os termos genéricos. Eles são muito disputados e tendem a tirar a atenção do seu público.

E aqui uma dica de ouro: caso você encontre palavras-chave úteis, crie grupos para suas campanhas.

Cada grupo pode conter uma lista de palavras-chave pertinentes.

Por fim, lembre-se de inserir esses termos no título do anúncio e em todo o teor da campanha. Esses pequenos detalhes melhoram a performance como um todo.

De olho nos lances

Ao escolher as palavras-chave do seu anúncio, você vai passar pelo leilão de palavras do Google Ads.

Mas atenção: a melhor estratégia de um leilão não é investir no maior lance possível. Isso porque apostar nas palavras mais caras pode significar desperdício de dinheiro.

Por isso a importância de priorizar palavras cujas buscas sejam médias, baixas ou ainda mais específicas, conforme dissemos acima.

Aí você pode pensar: “mas por que vou investir em palavras que estejam

com baixa procura?”. Na realidade, existem palavras-chave “cauda curta” e “cauda longa”.

Palavras-chave de cauda curta possuem um grande volume de buscas, mas são mais genéricas.

Portanto, você pode atrair muitos cliques, mas baixa conversão, pois são termos extremamente vagos.

Já a cauda longa é a estratégia que utiliza palavras-chave mais longas e que permitam alcançar usuários com mais intenção de compra.

Um exemplo ilustrativo para entender melhor: se você for uma loja virtual que vende calçados e deseja criar um anúncio para vender os tênis Nike para basquete, qual palavra-chave você acredita que terá mais sucesso em captar o cliente certo: "tênis" ou "preço tênis nike para basquete"?

É claro que será o termo mais preciso: “preço tênis nike para basquete”.

Entretanto, se compararmos as duas palavras-chave, o termo “tênis” possui muito mais volume de buscas...

Pode parecer óbvio, mas muitos anunciantes ainda cometem este erro simples e que pode comprometer toda a estratégia.

O Google Ads não é um bicho de sete cabeças

Uma vez estabelecidos os parâmetros, palavras-chave, segmentação e orçamento, as campanhas irão para aprovação do Google.

Se tudo estiver certo, logo começam a rodar. Aí então entra uma fase muito importante: o monitoramento.

Portanto, engana-se quem pensa que basta “injetar” dinheiro”. Quando as campanhas vão ao ar, o seu trabalho estará apenas começando.

A gente explica o porquê a seguir.

Por que acompanhar as métricas do Google?

Esta parte é tão importante que demos a ela um parágrafo à parte.

A resposta para essa pergunta é simples: para não perder dinheiro! A plataforma do Google Ads permite o acompanhamento das métricas de todas as campanhas que você criar.

Desta forma, é possível analisar quais estão apresentando um bom desempenho e quais precisam de tratamento.

Também se pode editar os conteúdos por dentro da própria plataforma.

E se julgar que uma campanha está performando bem, aproveite para criar outra com base no que deu certo. Uma excelente dica é criar várias versões de um mesmo anúncio e analisar, posteriormente, qual se saiu melhor.

Nós da Alt sugerimos o acompanhamento de algumas métricas, como:

CTR, CPM, CPC, Métricas de índice de qualidade (qualidade do anúncio, CTR esperada, qualidade da página de destino), Custo/Conversão, conversões, Parcela de impressão na pesquisa, Parcela de impressões perdidas devidas ao orçamento, Parcela de impressões perdidas devidas à classificação.

Se você estiver realizando uma campanha de YouTube, considere usar também as métricas de vídeo como CPV e visualização (25%, 50%, 75%, 100%)

Todas estas métricas vão lhe proporcionar uma sólida visão da performance da campanha.

E outra dica de ouro (essa é absolutamente imperdível): é vital instalar o Código de acompanhamento de conversões do Google e realizar a integração de contas do Google Ads e Google Analytics.

Isso lhe permitirá importar audiências e métricas poderosas do Google Analytics, bem como realizar campanhas através dos públicos de remarketing.

“Não tenho dinheiro para anunciar no Google”

Mesmo campanhas de baixa orçamento, desde que devidamente estruturadas, conseguem um excelente ROI – retorno sobre investimento.

Muitas vezes, inclusive, com mais resultados do que campanhas de grande porte.

Mas então, qual o segredo?

Já dissemos ao longo deste artigo: focar no que é relevante para o público que você deseja atingir.

Não tem erro!

Ainda que sua empresa tenha pouco dinheiro destinado ao Google Ads, haverá uma forma de anunciar assertivamente.

E se você deseja um conselho de ouro, a Alt lhe entrega: investigue a concorrência.

Quem são eles no Google?

O que, como e quando anunciam?

Onde se posicionam?

Os anúncios deles costumam variar?

E para onde o usuário é direcionado?

Conclusão

Boas estratégias de marketing digital devem contemplar o Google Ads, sem dúvidas.

A ferramenta, apesar de intuitiva e didática (o Google é ótimo nisto), presume conhecimento.

De nada adianta criar anúncios soltos, sem pensar efetivamente em uma estratégia.

Segmente seu público, estabeleça um orçamento (que nem precisa ser milionário) e crie boas campanhas, explorando formatos inteligentes e atrativos com os quais seu futuro cliente vai gostar de interagir.

Anunciar no Google não é um pesadelo. Mas você pode ter pesadelos se não atingir resultados e ainda desperdiçar dinheiro! Pense nisso.

Converse com a Alt

Somos parceiros do Google e viciados em resultados.

Há anos, nosso dia a dia é administrar e potencializar campanhas que fazem nossos clientes


Análise gratuita da sua
performance digital

Receba uma análise sem custo da performance da suas campanhas
de Google Ads, Facebook Ads, Redes Sociais ou Website.

Recomendaremos ações e sugestões de melhoria.